terça-feira, 5 de junho de 2018

As tradições da vida



 Ler em Português      Leer en Español

A importancia de manter as tradições




Olá povo de Deus!

Você já se perguntou de onde veio as festas juninas? Sabe quais santos lembramos nestas festas? Ou conhece alguma receita típica destes dias?

Hoje vamos falar um pouco da mística deste mês e conhecer uma receita especial, própria das festas juninas.

A tradição por trás das festas


Inicia o mês de junho e com ele o friozinho próprio desta época do ano, as fogueiras se acendem, o cheiro de milho assado e bolo de fubá tomam conta, quentão, ensaios para quadrilhas e remendos de roupa.

É época de festas juninas, tempo de celebrar são João, santo Antônio, São Pedro e São Paulo.

Nestes festejos algumas coisas se destacam como a fraternidade, união, alegria e convivência das pessoas que organizam o evento.

Estudando um pouco a história, se sabe que a festa chegou aqui trazida pelos portugueses mas tem, em si, elementos franceses, espanhóis e chineses, que misturadas a cultura de nossa região se transformou na festa que vemos hoje.

Entretanto, eu chamo a atenção para algo mais importante nesta festa, a tradição que faz parte da história de qualquer povo.

A palavra tradição vem do latim e significa "passar a diante", "entregar". Assim vemos que é algo que nos foi entregue pela geração que passou e nós passamos para geração que segue.

Normalmente a tradição guarda características de um povo e de uma cultura. É mais do que crenças ou religiosidade, é algo antropológico, ou seja, integra aspectos sociais, culturais e da linguagem dessa comunidade.

Com isto em mente, se observa que guardar as tradições não significa que ela é engessada. É só olhar ao nosso redor e vemos como nós mesmos influenciamos a nossa realidade e, por tanto, nossa tradição. A ideia principal dela é mantida, mais os detalhes podem ser adaptados já que ela recebe influência de outras culturas e até da modernidade.

Assim, vemos novas músicas cantadas com as antigas, novos pratos somados ao antigos, novas roupas e novas danças.

As tradições ajudam a definir um povo e as suas tradições pessoais ajudam a definir sua história pessoal.

Todos nós temos tradições na família e algumas criamos. Muitos têm a tradição de reunir a família em datas importantes, outros de reunir todo domingo e por aí vai.

Quando casamos, criamos também novas tradições, unindo o que trazemos nas nossas histórias de vida. Isso é belo e deve ser valorizado e refletido, a ideia hoje é aproveitar essa festa tradicional para promover uma reflexão muito maior do que a própria festa, já que tomar consciência de nossas tradições permite aperfeiçoa-las.

Quais tradições você traz de sua família? Se casado(a), qual a tradição que seu parceiro traz? O que já foi construído e que vocês não se deram conta?

Para celebrar as tradições deixo uma receita que representa bem tudo isso refletido aqui.

Curau de Milho

Segundo a revista Safra, o curau tem sua origem em duas receitas, um pudim que vem dos portugueses e uma bebida o mingau proveniente dos índios Tupi, e que eles usavam em rituais. Desta mistura nasce esta saborosa receita, típica das Festas Juninas.

Ingredientes

8 espigas de milho verde

3 xícaras de chá de leite

2 xícaras de chá de açúcar

1 colher de sopa de manteiga

Canela em pó a gosto


Foto: Pixabay

Modo de preparo

- Corte os grãos do milho e leve-os ao liquidificador.

- Bata os grãos e passe esse "creme" por uma peneira para retirar a polpa. Descarte o bagaço.

- Coloque a polpa numa panela, junto com a leite, açúcar e manteiga.

- Leve ao fogo por uns 10 minutos, sem parar de mexer. Até que se forme um creme grosso e já não tenha gosto de milho cru.

- Coloque numa tigela ou prato ou xícara e polvilhe canela. Pode levar a geladeira, mas pode servir a temperatura ambiente.

- Depois de frio fica parecendo pudim, mas pode servir como creme também.


Foto: mdemulher


Obrigado pela leitura e espero vocês na sexta, boa semana!


PS. curta nossa página no face e siga-me no meu Instagram para ficar por dentro de nossas atualizações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário